Vantagens Neurometria Funcional


“Construindo resultados e desenvolvendo estratégias diferenciadas para profissionais das áreas da saúde: física, emocional e comportamental.”


 

Da teoria á pratica:

A Neurometria nasceu com o proposito em atender profissionais das áreas da saúde, comportamental e terapêuticas complementares, que buscam um trabalho diferenciado e cientifico oferecendo benefícios na saúde e qualidade de vida dos seus clientes.
Através do desenvolvimento contínuo da tecnologia associado a conhecimentos sistematizados da nutrição funcional, medicina bioquímica básica, neurociência, técnicas comportamentais, saúde estatística associada á tecnologia que, objetiva mensurar as reações Neurofisiológicas e Cerebral (atividades cognitivas) que ocorrem no corpo (baseando-se na variabilidade do Sistema Nervoso Autonômico e Cognitivo *).
Suas ferramentas de analises e treinamentos neurométricos capacitam profissionais para que possam criar estratégias de tratamento através de seus conhecimentos e ao mesmo tempo avaliar seu paciente através do monitoramento, que funciona tanto como ferramenta de tratamento e pesquisa (medicina por evidência).
Profissionais Cardiologistas, Psiquiatras, Homeopatas, Nutrólogos, Urologistas, Homeopatas, Psicólogos, Psicanalistas entre outros podem utilizar o exame de DLO para acompanharem a saúde de seus pacientes.

Segue alguns Exemplos:

Neurometria na Psicopedagogia:

O Psicopedagogo poderá utilizar a Neurometria como coadjuvante nos tratamentos de dificuldade de aprendizagem e hiperatividade. Ao trabalhar com crianças com dificuldade de aprendizagem, é muito comum elas apresentarem quadros de insônia, ansiedade ou alguma disfunção orgânica. Nesse caso utilizar o protocolo da Fisiologia do sono associado ao GOC (Gerador de Ondas Cerebral), a criança consegue ficar menos ansiosa e também começara a dormir melhor.

Através das analises será possível averiguar a compatibilidade neurofisiológica com os diferentes estados comportamentais e a capacidade de relaxamento da criança. O profissional poderá avaliar se existem outros fatores mantenedores da hiperatividade como por ex: um quadro de deficiência nutricional ou de hipersensibilidade alimentar esse resultado pode caracterizar uma fisiologia compatível com hiperatividade, dessa forma o profissional poderá atuar de maneira mais efetiva e abrangente com a criança e sua família.

Os protocolos de treinamentos de controle de ansiedade juntamente com o indutor de ondas cerebral são coadjuvantes nos tratamentos da hiperatividade, facilmente observados nas seguintes situações:

✔ Melhora significativa da agitação como: esfregar mãos ou pés, se contorcer na cadeira, balançar objetos;
 Diminuição da capacidade de distrair-se facilmente com outros estímulos;
 A criança consegue brincar de forma mais tranquila;
 Interagir melhor com as pessoas de seu convívio ouve melhor o que é dito;
 Melhora a concentração;
✔ Favorece no equilíbrio Cardio-respiratório.

Profissionais na área de Educação física e Fitness:

Terão como ferramenta a analise Fitness que auxilia o profissional a melhorar as condições físicas do seu aluno. Nos treinamentos com atletas a Neurometria poderá contribuir como coadjuvante nos seguintes casos: Ajudar o atleta a Livrar-se dos obstáculos que o impedem de melhorar seu desempenho como também:

 Aperfeiçoar-se como jogador;
 Livrar-se dos obstáculos que o impedem de melhorar;
 Aprimorar seu foco e sua concentração;
 Aumentar sua resistência mental;
 Alcançar o ponto em que se é capaz de jogar ao máximo de sua capacidade;
 Avaliar o seu condicionamento físico antes e durante o programa de Treinamentos;
 Auxiliar na escolha de atividades que, além de motivá-lo, possa desenvolver suas aptidões e fazer com que ele alcance os seus objetivos de forma mais rápida e segura;
 Detectar deficiências, permitindo uma mudança no sentido de superá-las;
 Acompanhar seu Progresso físico ou perceber antecipadamente alguma queda no rendimento;
 Diminuir o risco de problemas com lesões, fadiga crônica, desgastes desnecessários e na saúde em geral.

A Neurometria Funcional coadjuvante no tratamento de diversas fobias.

De acordo com o DSM –IV as fobias são caracterizadas como desordens da ansiedade como por ex: ataques de pânico, desordem de pânico, fobias (agorafobia, fobia social, etc.), depressão reativa e transtorno-obsessivo-compulsivo.

A Neurometria Funcional poderá ser utilizada de diversas formas, veja a seguir:

 Para medir respostas fisiológicas do paciente como: frequência cardíaca, temperatura das mãos, ritmos da respiração, atividade da glândula sudorípara, hemodinâmica do fluxo sanguíneo, padrões de ondas cerebral, amplitude e frequência simpática, parassimpática, reserva funcional, etc;

 Analises e Treinamentos: Podemos utilizar os resultados das analises e os Protocolos de Reabilitação do Sistema Nervoso Autônomo (S.N.A.) para melhorarmos a fisiologia do paciente através de um tratamento personalizado ou multidisciplinar.

O profissional visualizara na tela do computador como foi o desempenho do seu paciente durante os treinamentos. Auxiliando-o a obter uma nova percepção de seu estado emocional. O paciente começa melhorar a sua propriocepção a entender como ele esta lidando com as situações de estresse, decisões ou conflitos internos.

 Gerador de Ondas Cerebral (GOC): A aplicação de estímulos sonoros prepara o paciente deixando-o mais relaxado e receptivo para os treinamentos ou para outros tratamentos e técnicas utilizadas pelo profissional;

 Monitoramento – Utilizar a Neurometria para monitorar todo o processo do paciente antes e durante algumas intervenções terapêuticas entre elas: regressão através da Hipnose, EMDR OU EFT. Podemos transformar uma emoção e quando isso acontece também mudamos a bioquímica do cérebro e a irrigação cerebral trazendo mais tranquilidade ao paciente.

São vários os benefícios que a Neurometria oferece aos pacientes diagnosticados com desordens de ansiedade e suas comorbidades, entre eles:

Através do Treinamento do controle de ansiedade o paciente aprende a controlar a sua ansiedade acessando partes diferentes do cérebro criando mecanismos para diminuir as ações de secreção das catecolaminas;

 Melhora significativa das palpitações, sudorese excessiva, tremores;

 O paciente começa entender como ele responde aos estímulos externos (sons, barulhos, cheiros, discussões, visual etc);

 Aprende a controlar a Resposta Emocional aos Estímulos Internos (pensamentos, imageria etc);

 O paciente ira aprender a trabalhar com sua capacidade respiratória Com o objetivo em desenvolver a sua habilidade de adaptação mediante diferentes situações como também a sua resiliência;

 Estimular o pensamento lógico e concentração;

 Melhora do sentimento de desproteção e da necessidade de controle sobre tudo que esta a sua volta;

 Aprender a relaxar diminuindo o ritmo das atividades cerebrais, e consequentemente mudar a bioquímica que regula os neurotransmissores, responsáveis pelos ataques de pânico e ou depressão;

 Ajuste do Metabolismo Funcional (DHEA, Cortisol, Adrenalina e etc.).